UFC

O que o novo caso de doping de Jon Jones representa para seu legado no esporte

Foto: Divulgação/UFC

Entender o que se passa na cabeça de certos lutadores é uma tarefa difícil para qualquer um. Mas talvez Jon Jones seja o personagem mais indecifrável que temos no mundo das lutas hoje em dia. Só pode ser definido como “inacreditável” o novo caso de doping de um dos maiores lutadores de todos os tempos. Semanas após deixar o “inferno” e reencontrar o “céu” com um nocaute espetacular em Daniel Cormier no UFC 214 e assim recuperar o cinturão dos meio-pesados de forma brilhante, o americano teve divulgado pela Usada (Agência Antidoping dos Estados Unidos) o flagra em exame antidoping realizado na véspera da luta com Cormier que apontou o uso do esteroide Turinabol, substância proibida usada para ganho de massa muscular.

A bomba é um verdadeiro banho de água fria no UFC e nos fãs de lutas. Com um retorno triunfal diante do maior rival, Jones retomava o caminho incrível que sempre trilhou no mundo das lutas. Este é o terceiro caso de doping no qual Jones se envolve. Além de perder o cinturão dos meio-pesados do UFC, Jones deve pegar uma suspensão que pode chegar a três ou quatro anos devido a reincidência. Isso pode representar o fim de sua carreira mesmo que ele hoje tenha 30 anos. Ficar tanto tempo longe do esporte é duro.

Jones ainda não se pronunciou de forma oficial, e o UFC espera a resolução do caso, que é conduzido pela Usada. Mas não precisa ser muito esperto para entender que a não ser que algum mal entendido tenha acontecido ou Jones tenha uma desculpa muito (mesmo) convincente ele deve perder o cinturão dos meio-pesados do UFC, que deve acabar sendo devolvido a Daniel Cormier, que pela segunda vez foi derrotado por um atleta dopado.

É o terceiro caso de doping de Jones. Em 2015, ele foi flagrado em teste fora de competição por uso de cocaína. Já no ano passado, ele foi flagrado também por uso de esteroides. Os três casos colocam seu legado em questão, já que sua última luta “limpo” foi em abril do ano passado, quando ele teve uma apresentação irreconhecível contra Ovince St Preux. Assim como Anderson Silva, Vitor Belfort e outros nomes gigantes do MMA, Jones agora sofre com a desconfiança. Será que seu desempenho no octógono durante todo esse tempo foi desenvolvido com a ajuda do doping? Eu creio que não, mas ainda assim é complicado achar que ele sempre esteve limpo depois de três flagras. Seu legado no esporte fica claramente em questão. Ele deixa de ser unanimidade.

Uma pena. Mais uma vez, Jon Jones mostra ao mundo que seu maior rival é ele mesmo. E assim como no octógono, é difícil superá-lo. Fora casos de doping, vale lembrar seus problemas com a polícia americana. Jovem, o lutador tinha tudo para trilhar uma carreira brilhante e insuperável no MMA.

Mas vai entender o que se passa na cabeça de um cara como Jon Jones…

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar