Ganhador.com

Vôlei

Mundial de Clubes de Vôlei Masculino: entenda por que o Sada Cruzeiro pode sim ser o campeão

Foto: Sada Cruzeiro - Facebook Oficial

A partir desta terça (12), equipe mineira enfrenta concorrência pesada naquele que é apontado como o Mundial mais forte de todos os tempos         

Quem gosta de vôlei tem um programão para este fim de ano. A Polônia vai receber nesta semana, entre os dias 12 e 17, o Mundial de Clubes Masculino apontado pelos especialistas como o mais forte da história da competição. O Sada Cruzeiro é o representante brasileiro e surge como todas as chances de conquistar o seu tetra naquele que é o principal evento do calendário da modalidade em todo o planeta.

Mineiros integram o “Grupo da Morte”

Grande exemplo da força deste Mundial está na verdadeira pedreira que o Cruzeiro enfrenta logo de cara. O clube encara no Grupo A o Lube Civitanova (da Itália), o Sarmayeh Bank (do Irã) e o Zaksa (da Polônia) em um quadrangular que pode facilmente precisar dos critérios de desempate para definir os classificados.

Para muitos treinadores, incluindo Giampaolo Medei, do Lube, o atual campeão italiano, cada equipe pode ter até mesmo 25% de chances de se classificar. Será uma verdadeira loteria em meio de saques e ataques dos melhores jogadores da atualidade.

Os cruzeirenses têm duas vantagens. A primeira delas é conhecer bem como fazer para ser campeão. Afinal, a equipe ganhou três edições do torneio, nos anos de 2013, 2015 e 2016. Conquistando o tetra, o time se iguala ao Trentino como maior potência da história da competição.

Outra boa notícia para os cruzeirenses é a presença do levantador Nico Uriarte. Ele tem vasta experiência na Polônia, pois jogava no Belchatow, que estará no outro grupo.

A chave B surge com duas equipes de condições mais modestas. O Shanghai, da China, é tido como grande azarão, mas conta com dois astros internacionais, o argentino Conte e o francês Lyneel. O Bolívar, da Argentina, também chega sem muita pompa, mas prometendo complicar quem cruzar o seu caminho. As duas principais forças são o Belchatow, pelo país-sede, e os russos do Zenit-Kazan, que perderam os dois últimos Mundiais para o Cruzeiro e surgem com chances de chegar de novo à decisão.

Leal e Simón, os craques

Apesar de reunir a maior constelação do vôlei mundial, o time do Cruzeiro é apontado como o reduto das grandes estrelas desta competição. A principal delas é o cubano naturalizado brasileiro Yoandi Leal, talvez o melhor atacante do mundo na atualidade. Ele mede exatos 2 metros e pesa 100 quilos de puro músculo. A torcida do Cruzeiro sabe bem do que ele é capaz, honrando a grande tradição cubana de ataques potentes e às vezes até mesmo por cima do bloqueio.

“O primeiro de tudo que espero é o título Mundial para nossa equipe. Queremos ganhar”, afirmou Leal. “Nós estamos treinando muito, trabalhamos a temporada toda voltados para esta competição e queremos brigar muito por esse troféu. Primeiro tenho que jogar bem, mas ficaria muito feliz em ganhar um prêmio desses novamente. Vamos pensar jogo a jogo, pois será muito disputado”, concluiu ele, que foi eleito MVP do torneio em 2015.

Outro craque que o time brasileiro vai poder usar com especial motivação é o central cubano Simón, outra peça apontada como essencial para o bom funcionamento da equipe mineira.

“As melhores equipes do mundo estão aqui e cada jogo vai ser decidido no limite, no detalhe. Esse Mundial é mais um desafio pessoal para mim também, agora com essa nova função de liderar o time”, analisou o capitão Filipe. “Nós vamos fazer o nosso melhor, sabendo o quanto os jogos serão difíceis. Espero que dê tudo certo para nós e que a gente possa fazer um ótimo torneio. Nosso grupo tem uma força muito grande, já passou por tanta coisa e a gente não perde essa sede, essa fome de vencer. Temos que entrar com tudo, fazer o nosso melhor e buscar mais um título para o Brasil e para a nossa torcida.”

O Mundial é disputado no tradicional sistema de contar com duas chaves de quatro equipes. As duas melhores avançam para a semifinal. Os times ganhadores fazem a decisão, e os perdedores se encontram na disputa pelo Terceiro Lugar.

Os jogos do Cruzeiro na 1ª fase do Mundial de Clubes

Terça-feira, 12 de dezembro

  • 17:30 – Sada Cruzeiro x Lube Civitanova (Itália)

Quarta-feira, 13 de dezembro

  • 17:30 – Sada Cruzeiro x Sarmayeh Bank (Irã)

Quinta-feira, 14 de dezembro

  • 14:30 – Sada Cruzeiro x Zaksa Kedzierzyn-Kozle (Polônia)

Sábado, 16 de dezembro

  • Semifinal

Domingo, 17 de dezembro

  • Decisão

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar