UFC

Massacre contra Lawler prova que Dos Anjos está pronto para novo cinturão do UFC

Foto: Divulgação/UFC

O UFC Fight Night que aconteceu no último sábado (16), em Winnipeg, no Canadá, contou com resultados expressivos para o Brasil dentro do octógono. Além do reencontro de Glover Teixeira com as vitórias na categoria dos meio-pesados, Rafael dos Anjos derrotou o ex-campeão dos meio-médios Robbie Lawler com uma atuação impecável e dominou o americano após cinco rounds de uma luta muito técnica e estratégica. Mais importante do que vencer, Dos Anjos provou que está pronto para uma disputa de cinturão contra o atual campeão da divisão, Tyron Woodley.

Quando Dos Anjos bateu Neil Magny, somando a segunda vitória consecutiva na divisão dos meio-médios, escrevi aqui no Ganhador que gostaria de vê-lo enfrentando um Top 5. Ele enfrentou o segundo colocado no ranking e conquistou uma apresentação espetacular. Após bater Magny com facilidade, achei que ele precisava se provar contra alguém mais duro para chegar mais pronto a uma disputa de cinturão. Feito. Diante de um ex-campeão da categoria e número dois no ranking oficial, Rafael obteve uma apresentação espetacular. Não deu chances ao rival e dominou o combate de ponta a ponta. O melhor é que a luta durou cinco rounds. Ele mostrou que está pronto para encarar uma chance pelo título na divisão.

Esta foi a terceira vitória em três lutas de Dos Anjos na divisão dos meio-médios. Depois de perder o título dos leves e “quase morrer”, segundo o próprio, por conta do corte de peso na categoria de baixo (até 71kg), o brasileiro se encontrou na categoria até 77kg. O corte de peso menos agressivo parece mesmo ter trago benefício. Lutar cinco rounds contra um adversário que anda para frente, é resistente e aguenta porrada, e extremamente agressivo, não é para qualquer um. Lawler pode não ser o mesmo de ano atrás, mas ainda é um monstro. No segundo round, por exemplo, Dos Anjos o encurralou e aplicou uma saraivada histórica de golpes que só seres humanos como Lawler conseguem ficar em pé para contar história. Algo incrível.

Na teoria, não há o que discutir. Dos Anjos bateu o número dois do ranking, tem mais currículo, é um ex-campeão, vive grande fase e acaba de dar um show de cinco rounds contra um astro do UFC. Mas nunca é tão fácil como parece. O brasileiro deve disputar a chance com Colby Covington, que também vive grande fase no octógono. A diferença é que o que falta de expressividade em seus resultados sobra de autopromoção. O americano tem sido manchete quase semanalmente provocando rivais, e construindo sua popularidade rodeado de polêmicas. Isso, hoje em dia, conta. Não à toa um rumor semana passada dava conta de que Colby e Woodley estariam cotados para serem os treinadores da próxima edição do The Ultimate Fighter nos EUA e depois se enfrentariam pelo título.

Tyron Woodley, campeão da categoria, está com bons pretendentes para uma disputa de cinturão. Mas, malandro que é, já tirou o corpo fora e criticou a performance de Rafael dos Anjos. O americano desconversou e não se mostrou interessado em defender o título contra o brasileiro ou Colby Covington.

O que importa no momento é que temos mais um brasileiro muito próximo de uma chance pelo cinturão. Após uma temporada tão difícil e repleta de fracassos do Brasil no UFC, é bom ver um ex-campeão de volta ao topo e com grandes chances de garantir para o país um cinturão inédito dentro do octógono.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar