Ganhador.com

MotoGP

Marc Márquez tem em 2018 a chance de mostrar que pode ser maior que Valentino Rossi na MotoGP

Foto: Jose Breton/NurPhoto via Getty Images

Espanhol venceu quatro das últimas seis temporadas

A temporada 2018 da MotoGP ainda não começou, mas todos os holofotes estão em cima de Marc Márquez. O espanhol ganhou o título pela quarta vez e já aparece como o quarto maior vencedor da categoria principal. Isso traz comparações inevitáveis com a lenda Valentino Rossi e uma resposta de se realmente pode se colocar neste nível deve ser dada na próxima edição.

 

Márquez na frente

Com seis vitórias em 18 corridas, Marc Márquez foi merecidamente o campeão de 2017. Agora, busca entrar de vez na história ao tentar um pentacampeonato em 2018. A chance de isso ocorrer é considerável, pois o espanhol segue na Honda no próximo ano e isso é um casamento que não deve acabar tão cedo.

Pilotando a melhor moto da categoria, Márquez vem apresentando números impressionantes, que fazem bater de frente com os de Valentino Rossi. Tanto que os dois possuem o mesmo número de títulos nos cinco primeiros anos: quatro. O equilíbrio é presente em outras marcas, embora o italiano leve vantagem na maioria delas, como pódios (65 a 63), voltas mais rápidas (39 a 37), além de vitórias (42 a 35). O espanhol só leva a melhor quando o quesito é pole, o que acaba sendo uma verdadeira lavada, 45 a 25.

Com um rendimento desses e permanecendo na equipe, o atual campeão tem tudo para renovar o título, ou no mínimo ficar na briga.

 

Rossi é a Itália que não decepciona

Segundo maior vencedor da categoria, Valentino Rossi está confirmado para mais uma temporada. O italiano inclusive declarou que a MotoGP sem ele é como uma Copa do Mundo sem a Itália.

Acontece que o torneio de futebol vai ficar sem a Azzurra em 2018. A explicação para isso é a seleção não ter a mesma competência que o piloto da Yamaha tem. Aliás, por mais títulos que Márquez possa adicionar no seu currículo, os fãs certamente terão um lugar especial para Rossi. Principalmente porque quando estava ganhando tudo com a sua Honda, abriu mão desta vantagem e foi para uma moto consideravelmente inferior e mesmo assim venceu.

O piloto, que não conquista a taça desde 2009, dificilmente levantará o caneco no próximo ano, mas é sempre certeza de espetáculo. Neste ano, mesmo com uma equipe de menos recursos, conseguiu um quinto lugar, algo perfeitamente alcançável para a edição de 2018.

 

Lorenzo tenta apagar péssimo ano

Tricampeão da categoria, Jorge Lorenzo esteve longe de repetir seus bons momentos. O piloto conseguiu apenas um segundo lugar uma única vez em toda a temporada e acabou apenas na sétima colocação. Seu desempenho pode ser considerado ainda mais desastroso porque seu companheiro de equipe, Andrea Dovizioso, venceu seis corridas e terminou o campeonato em segundo. Isso gerou até uma reclamação do CEO da Ducati, que espera vê-lo melhor no próximo ano. O fato deve dar uma motivação maior para o espanhol.

 

Honda, Yamaha e Ducati seguem em vantagem

O campeonato de 2018 não terá grandes mudanças, o que significa que Honda, Yamaha e Ducati seguem em vantagem contra as adversárias Suzuki, Aprilia e KTM. De todas, a Honda é a que aparece na frente, pois continuará com seis motos, enquanto Yamaha e Ducati seguem com quatro. Já as demais, apesar do desejo de terem equipes satélites, adiaram essa possibilidade para 2019 e vão para pista com somente dois pilotos.

Pode até não parecer, mas isso tem um impacto considerável na temporada, não só pelas estratégias de cada corrida, como também para coletar informações a serem utilizadas no aperfeiçoamento das motos.

 

Valentino Rossi ainda pode fazer história

Uma das maiores lendas da MotoGP, o italiano Valentino Rossi ainda pode colocar seu nome ainda mais em destaque no esporte. Isso porque conta com sete títulos da categoria principal, somente um a menos que Giacomo Agostini, que venceu oito vezes entre 1966 e 1975. Na época, a disputa era pelas 500cc, que depois se transformaram na atual competição. Já Marc Márquez pode tentar encostar na disputa, pois conta com oito campeonatos até aqui. O espanhol ainda aparece abaixo de Michael Doohan, que levantou a taça em cinco ocasiões, de 1994 a 1998.

 

Calendário da MotoGP em 2018

  • 18/03 – Catar
  • 08/04 – Argentina
  • 22/04 – Estados Unidos
  • 06/05 – Espanha – Jerez
  • 20/05 – França
  • 03/06 – Itália
  • 17/06 – Espanha – Catalunha
  • 01/07 – Holanda
  • 15/07 – Alemanha
  • 05/08 – República Tcheca
  • 12/08 – Áustria
  • 26/08 – Grã-Bretanha
  • 09/09 – San Marino
  • 12/09 – Espanha – Aragão
  • 07/10 – Tailândia
  • 21/10 – Japão
  • 28/10 – Austrália
  • 04/11 – Malásia
  • 18/11 – Espanha – Valência

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar