UFC

Cris Cyborg, enfim, conquista cinturão do UFC; próximo passo é conquistar o Brasil

Foto: Divulgação/UFC

Mais do que a redenção de Jon Jones no octógono, o UFC 214 marcou o aguardado encontro entre Cris Cyborg e o cinturão mais cobiçado do mundo das lutas. Seu domínio no MMA feminino é tão reconhecido há tanto tempo que a conquista do título peso pena feminino pareceu meramente uma questão de tempo. E quanto tempo… A brasileira batalhou, fez campanha e se esforçou até conseguir lutar em sua categoria no Ultimate. O resultado não poderia ser melhor. Com um nocaute no terceiro round contra a resistente Tonya Evinger, Cris se tornou a nova campeã do UFC e garantiu mais um título para o Brasil no evento.

Assim como Cyborg declarou antes da luta, ela sempre se considerou a melhor do mundo, a campeã. Então foi quase como uma defesa de título quando ela pisou no octógono com Evinger no UFC 214. Com uma performance inteligente, mais cautelosa e estratégica, a brasileira mostrou que segue evoluindo a cada luta, o que a coloca em um nível muito acima das demais rivais. Sua trocação é implacável. Durante a luta com Tonya, ficou a impressão de que ela poderia terminar a luta a qualquer momento, mas paciência e frieza são virtudes dignas de grandes campeões.

Agora campeã do UFC, Cris Cyborg tem tudo para multiplicar sua popularidade e se destacar principalmente no Brasil. O público brasileiro carece de ídolos, especialmente no MMA, que não vive uma grande fase há anos. Cris é simpática, talentosa e para lá de competente. Com o trabalho certo, ela pode se tornar um ícone do esporte nacional. Os primeiros passos já foram dados, e ela tem potencial de sobra.

Nos Estados Unidos, Cyborg já tem uma legião de fãs enorme. A brasileira sempre foi pico de audiência nos eventos que passou e não tem sido diferente no UFC. Falta agora solidificar sua imagem no Brasil. O torcedor brasileiro gosta de vencer, admira vencedores. E isso Cris tem a oferecer. O desempenho no esporte unido a postura fora do octógono pode resultar em sucesso. Que fique claro: Cris é, sim, conhecida no Brasil, mas ainda está longe de seu potencial completo como grande nome do esporte.

Sua próxima luta no UFC ainda não está definida, mas Cris seria um bom nome para encabeçar um evento do UFC no Brasil – há um show programado para o dia 26 de outubro, em São Paulo. Isso ajuda o atleta a massificar sua imagem no país e, acreditem, Cyborg tem tudo para se confirmar como o maior nome da história do MMA feminino, ostentando um longo reinado dentro do octógono.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar