Ganhador.com

Futebol: Podcast

Confira o resumo e os resultados dos jogos da 8ª rodada do Campeonato Brasileiro

Com uma boa média de gols – foram 21 em nove jogos – a oitava rodada do Campeonato Brasileiro foi generosa com os visitantes: 5 vitórias contra 1 dos donos da casa e 3 empates (faltando ainda o resultado do jogo entre Cruzeiro e Grêmio que fecha a rodada hoje, a partir das 20 horas no Mineirão).

Enquanto que alguns times aproveitaram a rodada para se recuperar na tabela, outros se afundaram de vez no Z-4 e o líder Corinthians arranhou sua fama de “bom vistante”, empatando com o Coritiba no Couto Pereira e pode perder a liderança para o Grêmio hoje à noite.

» Veja também: Podcast da rodada mais recente

 

O “favorito” venceu fora

O Palmeiras foi até o estádio da Fonte Nova medir forças com o Bahia – uma das surpresas do Brasileirão até aqui. Sem repetir o time da rodada anterior – que novidade! – mas armado com suas calças vinho (não dá pra evitar), o técnico Cuca apostou na pressão pra cima da defesa do tricolor para conseguir abrir o placar. E deu certo: Roger Guedes converteu o pênalti do zagueiro Rodrigo Becão pra cima de Keno e colocou o verdão na frente.

Sem se intimidar, o Bahia foi pra cima e no último lance do primeiro tempo, após duas grandes defesas de Fernando Prass, Vinícius deixou tudo igual.

Mas a alegria baiana durou pouco.

O Palmeiras voltou com Tchê-Tchê no lugar de Mayke e Jean passou a atuar como lateral-direito. O time melhorou e, aos 3 minutos, Keno puxou um contra-ataque e fuzilou de fora da área sem chances para o goleiro tricolor. À partir daí o ritmo do jogo foi caindo até atingir uma chatice quase insuportável com os visitantes “cozinhando” os donos da casa. Até que aos 37 minutos, Jean cobrou falta, Juninho desviou e Mina, de carrinho, mandou pro fundo do gol. Parecia que o jogo estava definido. Mas, não.

Como perder por 3 não muda muito de perder por 10, o Bahia foi pra cima e, dois minutos depois, após uma falha do zagueiro Juninho, João Paulo recolocou o tricolor no jogo. Faltavam cerca de 5 minutos para buscar o empate. Mas o Palmeiras se fechou na defesa e esperou uma chance no contra-ataque, que veio aos 47 minutos do segundo tempo: William, de fora da área fechou a fatura. O Palmeiras venceu a primeira como visitante e o Bahia perdeu a primeira como mandante. Ambos registram 10 pontos até aqui.

 

O Galo se recupera

Depois de amargar duas derrotas seguidas e curtir o feriadão na zona do rebaixamento, o Atlético Mineiro enfrentou o São Paulo no Morumbi e, fazendo o que quase todos os times do campeonato têm feito, esperou as tradicionais falhas defensivas do tricolor para morder os 3 pontinhos da vitória. Méritos do zagueiro Lucão que, de novo, falhou nos lances que culminaram nos gols alvinegros (Cazares e Rafael Moura). Marcinho diminuiu para os donos da casa. Foi a primeira derrota sãopaulina no Morumbi.

Lucão – o nome do jogo – deixou o gramado desabafando: “Enquanto eu estiver aqui, eles vão sempre pegar no meu pé. Preciso saber lidar com isso e ser profissional. Mas para a alegria de muitos aí, já, já eu estou indo embora”. O técnico Rogério Ceni, durante a coletiva, deixou muito claro seu descontentamento com o discurso do beque.

Com o resultado, o Galo deixa a zona do rebaixamento e o São Paulo curte a vida na vizinhança dos 10 pontos ao lado de Bahia, Palmeiras e Cruzeiro (que joga hoje).

 

Melhor visitante?

Depois de gastar um caminhão de gols contra o Vasco e o São Paulo e vencer duas partidas em casa, Corinthians foi até o Couto Pereira carregando na bagagem sua fama de “time que joga melhor fora”. Faltou combinar com o Coxa.

Os donos da casa não tomaram conhecimento do Timão e criaram as melhores chances durante toda a partida, mas não conseguiram passar pelo bloqueio corintiano. Quando passaram, ficaram nas mãos de Cássio que garantiu o bicho da galera.

Diferente do Coritiba – que jogou o bom futebol que vem mostrando ao longo do Brasileirão –, o Corinthians fez uma apresentação abaixo de sua capacidade, principalmente depois da saída de Marquinhos Gabriel, contundido, aos 29 minutos do primeiro tempo.

Mesmo sem fazer uma boa apresentação, alvinegro conseguiu o gol que lhe garantiria os 3 pontos com Jô ao final do jogo. Mas o juiz apontou um impedimento – que não existiu. Com o resultado, o Timão chega aos 20 pontos e pode ser ultrapassado pelo Grêmio hoje à noite. O Coxa segue na parte de cima da tabela, perto o suficiente para aproveitar um vacilo dos líderes.

 

Mais empates

Depois de estar à frente no marcador por duas vezes, o Fluminense vacilou e, no último minuto de jogo, Trauco empatou o clássico carioca para o Flamengo. Empate com gosto de derrota para o tricolor que, cheio de problemas em seu elenco, apostou nos contra-ataques para “matar” o jogo. O Flamengo foi melhor, mas pecava no último passe; no momento de decidir. Melhor para Wendell que aos 36 minutos do primeiro tempo, colocou o Flu na frente.

O Flamengo voltou para o segundo tempo com Berío e Arão nos lugares de Vinícius Júnior e Márcio Araújo e, aos 9 minutos, depois de um bate-rebate na área do Fluminense, empatou a partida com Diego. Sem abrir mão de jogar no contra-ataque, o tricolor voltou à liderança depois de uma arrancada de Richarlison que foi derrubado na área por Juan. Pênalti que Henrique Dourado bateu e recolocou o Flu na frente.

O Fla seguiu na pressão e aos 49 minutos do primeiro tempo, Trauco mandou um tirombaço no canto esquerdo sem qualquer chance para o goleiro Júlio César.

Pelos que os times apresentaram, até que foi um resultado justo. Pior para o Fluminense, mas justo.

Como também foi justo o 0 a 0 entre Santos e Ponte Preta, no Pacaembu. O Peixe até jogou melhor e criou mais chances, mas estava numa jornada péssima e as finalizações eram, quase sempre, com defeito. Neste ano, a Ponte têm sido um adversário indigesto para o Santos: eliminou a equipe da Baixada nas quartas de final do Campeonato Paulista e agora põe um “freio” na boa sequência santista (a equipe vinha de 3 vitórias no Brasileirão). Melhor para a Macaca que volta para Campinas com mais um pontinho na bagagem.

 

Porteira aberta

Definitivamente a Chapecoense perdeu a chave do cadeado de sua defesa. Qualquer um que bater à porta entra – e marca. Foi assim no duelo contra o Botafogo ontem na Arena Condá. Organizado como sempre e cirúrgico em suas ações ofensivas, o Fogão não precisou se esforçar muito para voltar para o Rio com mais 3 pontos na tabela. Pior para a Chape que, embora tenha tido a posse de bola, algum domínio do jogo e muita velocidade, perdeu mais uma em casa e agora ocupa a 5ª posição da tabela com 13 pontos. O alvinegro chega aos 12 pontos e sobe para a 7ª posição do campeonato.

 

Meu Z-4 querido

E na parte de baixo da tabela as coisas seguem animadas. Depois de criar um clima à meia-luz em São Januário – também conhecido como “um apagão de 27 minutos” –, o Vasco se engraçou pra cima do Avaí que acreditou em suas boas intenções e acabou levando um gol no primeiro encontro (tempo). De emoção mesmo, só a confusão entre a torcida durante o apagão. O policiamento fez a borracha cantar e tudo seguiu dentro da normalidade. No mais, os dois times mereciam perder – o jogo foi muito ruim. Melhor pra Nenê que teve participação fundamental no lance do gol de Yago Pikachu e, aos poucos recupera seu espaço no cruzmaltino. Para o Avaí, foi mais um “prego no caixão” da Zona do Rebaixamento.

Que continua bem frequentada de Atléticos. Os irmãos Goianiense e Paranaense se encontraram no sábado e a equipe do Sul se deu melhor: confirmou sua “recuperação” no Brasileiro – são duas vitórias fora de casa e ainda acabou com a invencibilidade dos donos da casa – em 12 jogos no Olímpico, foram 8 vitórias e 4 empates. Para efeito de Z-4, não muda muita coisa: com 8 e 6 pontos, respectivamente, os Atléticos seguem em uma situação delicada. Mas em muito boa companhia.

Tudo isso porque o Sport – que deixou de ser um time para virar um “pojeto” do “profexô” Luxemburgo – recebeu o Vitória na Ilha do Retiro e, bom anfitrião que é, entregou os 3 pontos do duelo para o visitante. Melhor para o time baiano que com o resultado confirma a boa fase nas mãos do técnico Alexandre Galo e escapa do Z-4 – trocando de lugar justamente com o Sport que segue firme em seu “pojeto”, agora na Zona do Rebaixamento.

 

Liderança

E a rodada pode terminar hoje com um novo líder no Brasileirão. O Grêmio vai até Belo Horizonte enfrentar o Cruzeiro e, se vencer, assume a liderança 1 ponto à frente do Corinthians. Claro que a tarefa não será das mais fáceis. Precisando se recuperar no campeonato, a Raposa deverá se fechar muito bem na defesa para não tomar sustos e aproveitar o desejo tricolor pela liderança para definir a partida em um contra-ataque. Muita coisa em jogo no duelo que promete fechar com chave de ouro a 8ª rodada do Campeonato Brasileiro.

 

Resultados

Sábado – 17/06/17

  • Atlético-GO 0 x 1 Atlético-PR
  • Vasco 1 x 0 Avaí
  • Santos 0 x 0 Ponte Preta

Domingo – 18/06/17

  • Coritiba 0 x 0 Corinthians
  • Fluminense 2 x 2 Flamengo
  • São Paulo 1 x 2 Atlético-MG
  • Bahia 2 x 4 Palmeiras
  • Chapecoense 0 x 2 Botafogo
  • Sport 1 x 3 Vitória

Segunda-feira – 19/06/17

  • Cruzeiro x Grêmio (o jogo será hoje as 20:00)

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Paixão Nacional: Já vimos este filme | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar