Ganhador.com

Tênis

Com reforço de Djokovic, Sérvia é favorita contra a poderosa Espanha nas quartas de final da Copa Davis

Foto: Clive Brunskill/Getty Images

Demais confrontos em busca de uma vaga nas semifinais envolvem muito equilíbrio, apesar da ausência da maioria das grandes estrelas; Brasil luta contra o Equador na seletiva para o Grupo Mundial de 2018.

De sexta (07) a domingo (09), irão se desenrolar os jogos das quartas de final do Grupo Mundial da Copa Davis 2017. Em uma competição que é um tipo de Copa do Mundo de tênis, quando os atletas formam equipes para defenderem seus países, a atual edição traz os maiores vencedores da competição na luta por uma vaga na semifinal, em confrontos até certo ponto imprevisíveis, dado o enorme equilíbrio.

O chaveamento dos duelos ficou da seguinte forma (número de títulos entre parênteses):

  • Austrália (28) x Estados Unidos (32)
  • Bélgica (0) x Itália (1)
  • França (9) x Grã-Bretanha (10)
  • Sérvia (1) x Espanha (5)

Resumindo, só teremos grandes clássicos e a expectativa de jogos de tirar o fôlego.

 

SÉRVIA X ESPANHA

Podemos dizer que a Sérvia tem uma vantagem considerável para o confronto diante dos espanhóis, que atende pelo nome de Novak Djokovic. Aliás, entre os participantes que estão nas quartas de final da Davis, os sérvios são os únicos que podem se gabar de terem o reforço de um nome de peso do tênis mundial. Aliás, Djoko está tão focado na competição que abriu mão de participar da última edição do Masters 1000 de Miami para tratar uma lesão no ombro.

Recuperado, o ex-número 1 da ATP terá a companhia de Viktor Troicki, Dusan Lajovic e Nenad Zimonjic. Já a Espanha não terá a chance de contar com seu maior astro, pois Rafael Nadal alegou cansaço em função das extenuantes disputas nas últimas competições, quando perdeu duas finais importantes (Australian Open e Masters 1000 de Miami) para seu maior rival, o suíço Roger Federer. A Armada Espanhola está escalada com Pablo Carreno Busta, Albert Ramos Viñolas, Marcel Granollers e Marc Lopez.

Odds: Sérvia (1.25), Espanha (5.25)

Palpite: Djokovic, com certeza, fará a diferença contra uma Espanha desfalcada de seu melhor jogador. Os sérvios têm tudo para fechar a melhor de cinco jogos com o placar de 3 a 1, ainda mais por atuarem em seus domínios.

 

FRANÇA X GRÃ-BRETANHA

Vice-campeã no ano passado, em decisão vencida pela Argentina, a Grã-Bretanha também se ressente por não poder contar com sua maior estrela. Atual líder do ranking da ATP, Andy Murray, que não se recuperou de uma lesão no cotovelo direito. Nas oitavas de final, quando também não tiveram o reforço de Murray, os britânicos penaram para vencer o Canadá por 3 a 2. Sem o número 1 do mundo, a equipe está escalada com Daniel Evans, Kyle Edmund, Jamie Murray (irmão de Andy) e Dominic Inglot.

O problema é que o adversário nas quartas de final será a poderosa França. O time francês, que tem Yannick Noah como capitão, terá o reforço de Lucas Pouille, Julien Benneteau, Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut.

Odds: França (1.34), Grã-Bretanha (3.80)

Palpite: sem Murray, a Grã-Bretanha por pouco não foi eliminada pelo Canadá, que é uma equipe bem inferior à França, que deve mesmo garantir presença nas semifinais da Copa Davis, por jogar diante da torcida, em Rouen. As coisas poderiam ser mais fáceis para os franceses se não tivessem os desfalques de Gilles Simon, Jo Tsonga, Gael Monfils e Richard Gasquet.

 

AUSTRÁLIA X ESTADOS UNIDOS

A Austrália está confiante no bom momento de Nick Kyrgios, prodígio do tênis, que por pouco não chegou à final do Masters 1000 de Miami. Mas, pela frente, a seleção da Terra dos Cangurus terá a escola mais vitoriosa do tênis mundial. Apesar de não contar com nenhum astro da ATP, os Estados Unidos, escalados com Jack Sock, John Isner, Sam Querrey e Steve Johnson, têm a tradição de ser a maior vencedora da Davis, com 32 conquistas – à frente da própria Austrália, 28 vezes campeã. Além de Kyrgios, os australianos entrarão em quadra com Jordan Thompson, Sam Groth e John Peers.

Odds: Austrália (2.30), Estados Unidos (1.80)

Palpite: o fato de jogar em casa se configura em boa vantagem para os australianos. A questão é que Nick Kyrgios carregará a equipe nas costas. Se ele não estiver bem, o favoritismo passa para o lado americano.

Confira os odds do último duelo das quartas de final: Bélgica (1.44), Itália (3.72)

 

BRASIL NA BRIGA POR VAGA NA ELITE DA DAVIS

O time do Brasil irá encarar o Equador em confronto válido pela Zonal Americana I. O vencedor do duelo irá encarar a Argentina, atual campeã da Davis – e que foi eliminada pela Itália na atual edição do torneio –, por um lugar no Grupo Mundial em 2018. Mas o maior adversário dos brasileiros será a altitude de 2.500m de Ambato, local onde os jogos serão realizados.

Escalação: Bruno Soares, Marcelo Melo, Thomaz Bellucci e Thiago Monteiro.

Odds: Equador (4.80), Brasil (1.15)

Palpite: além da maior tradição no tênis, o Brasil vem com seus melhores jogadores. Se o fôlego estiver em dia, a vitória virá sem problemas.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar