Ganhador.com

Vôlei

Brasil conquista a Copa dos Campeões de Vôlei, e Renan dal Zotto tem potencial sim para ser o novo Bernardinho

Foto: Grand Champions Cup 2017 FIVB / Site Oficial

Seleção fecha a temporada 2017 com dois ouros e uma prata. Ao contrário do que se imaginava, troca de técnicos teve amplo sucesso

O Brasil conquistou neste domingo (17) o título da Copa dos Campeões de vôlei masculino. Sem sustos, a taça foi erguida depois de uma vitória sobre o Japão por 3 sets a 0, parciais de 25/17, 25/15 e 25/22. A partida durou 1h24min e foi realizada em Osaka.

 

A conquista teve muitos altos e um único baixo, a derrota para a Itália por 3 sets a 2 na segunda partida. Todos os demais confrontos terminaram com triunfo brasileiro, sobre França (3 a 0) Irã (3 a 0), Estados Unidos (3 a 0) e Japão (3 a 0). Foi uma resposta mais que positiva à grande incerteza gerada depois da saída do lendário Bernardinho, que passou 16 anos do comando da seleção. Renan dal Zotto, o treinador que assumiu o Brasil em seu lugar, provou amplamente seu valor. Afinal, 2017 contou com três competições: Liga Mundial, Campeonato Sul-Americano e Copa dos Campeões. E Renan fecha este seu primeiro ciclo com dois ouros (Sul-Americano e Copa dos Campeões) e uma prata (Liga Mundial).

Um Brasil focado e guerreiro

Filho de Bernardinho e líder em quadra desta seleção de Renan, o levantador Bruninho analisou o título obtido no Japão da seguinte maneira: “Nossa equipe manteve uma base e usou alguns jogadores jovens que estão se integrando no grupo. A comissão técnica não pensa só no agora, mas na Olimpíada de Tóquio, em 2020, que é o grande objetivo. Esse time está cada vez mais experiente e vamos lutar para continuar entre os melhores”.

 

Modesto como sempre, Renan fez uma análise generosa da competição. Para ele, mais importante que a conquista brasileira foi a grande fase pela qual o vôlei masculino atravessa: “A Copa dos Campeões foi uma competição maravilhosa, com um nível técnico muito alto e a prova disso é que as duas primeiras equipes classificadas são as mesmas dos Jogos Olímpicos do Rio: Brasil e Itália. O Irã também teve uma participação boa”, observou.

 

“Ficamos felizes de ter conquistado esse título em uma competição tão importante. Quanto ao jogo contra o Japão, foi uma partida tensa porque sabíamos que precisávamos da vitória e íamos jogar contra a equipe da casa. O Japão tem um time difícil de enfrentar e o Brasil está de parabéns pela forma que se comportou durante todo o jogo, mesmo com a pressão e a responsabilidade de vencer para conquistar o título.”

 

A seleção brasileira da Copa dos Campeões contou no Japão com a base titular que foi usada na temporada 2017, com os levantadores Bruninho e Raphael, os opostos Wallace e Renan, os centrais Lucão, Maurício Souza, Otávio e Renan, os ponteiros Lucarelli, Maurício Borges, Douglas e Rodriguinho e os líberos Tiago Brendle e Thales.

Lucarelli é eleito o melhor da competição

Como sempre ocorre no vôlei, tão interessante quanto o título coletivo é saber quais são os melhores jogadores do torneio. E a distribuição ocorrida na Copa dos Campeões mostra o quanto esta edição foi equilibrada entre os países.

 

De todas as seis seleções participantes, apenas a França, a quinta colocada, não colocou nenhum atleta na equipe ideal do campeonato.

 

O melhor levantador foi o espetacular Giannelli, da Itália, talvez o grande nome da Azzurra na vitória diante do Brasil. Anderson, dos Estados Unidos, levou o prêmio de melhor oposto. Piano (Itália) e Lucão (Brasil) foram considerados pela Federação Internacional de Vôlei como os centrais mais eficientes da competição. Lucarelli (Brasil) e Ebadipour (Irã) faturaram entre os ponteiros, e o rápido e incansável japonês Ide Satoshi fez a festa da torcida da casa ao ser eleito como o melhor líbero.

 

O “MVP” da competição foi Lucarelli, que fez por merecer a designação. Com apenas 25 anos, o mineiro da cidade de Contagem é a grande prova que a nova safra da seleção brasileira tem destaque internacional para pelo menos a próxima década.

 

A classificação final da Copa dos Campeões do Japão contou com Brasil, Itália e Irã no pódio. Estados Unidos, França e Japão completaram a lista dos seis participantes.

 

Foi o quinto título brasileiro na competição, o quarto consecutivo. As conquistas anteriores vieram nas temporadas de 1997, 2005, 2009 e 2013.

A campanha do Brasil na Copa dos Campeões do Japão

Brasil 3×0 França (27/25, 27/25 e 25/22)

Itália 3×2 Brasil (15/25, 27/25, 27/25, 18/25 e 15/12)

Brasil 3×0 Irã (25/22, 25/19 e 25/15)

Brasil 3×2 Estados Unidos (26/28, 25/15, 20/25, 25/22 e 13/15)

Brasil 3×0 Japão (25/17, 25/15 e 25/22)

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar