UFC

A(s) luta(s) de Rodrigo Minotauro

Foto: Alexandre Loureiro/UFC/Reprodução

A vida de Rodrigo ‘Minotauro’ Nogueira se resume ao mundo das lutas. Quase 19 meses depois de anunciar a aposentadoria e encerrar uma das carreiras mais respeitadas da história do MMA, o ex-campeão dos pesados do UFC, ídolo do Pride e ícone do esporte brasileiro passa longe deixar a modalidade que mais ama de lado. aos 40, com as luvas penduradas, o baiano acumula trabalhos como empresário, comentarista, embaixador e a última novidade no currículo… Apresentador!

Minotauro lançou nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro, o “Viver para lutar”, documentário produzido em parceria com o UFC, canal Combate e Mixer Films. O trabalho conta com o ex-lutador como apresentador. Ele viajou por cinco países diferentes e se aprofundou na cultura de seis artes marciais diferentes. Rússia, Japão, Coréia, Tailândia e Estados Unidos foram os destinados visitados pelo astro. O documentário estreia no Combate, nesta segunda-feira, às 20h, e terá seis episódios que mostram a experiência do brasileiro aprendendo novas técnicas marciais, vivendo a rotina de atletas de modalidades como caratê, muay thai e wrestling, e muito mais.

Estive no lançamento do documentário, conversei com Minotauro e senti de perto o empenho do ex-campeão em manter forte sua ligação com o mundo das lutas. Enquanto calculava seu tempo com a ajuda de assessores para atender convidados, imprensa e companheiros de trabalho, o baiano fez questão de lembrar que, além da promoção do documentário, segue colocando em andamento outros projetos paralelos. Só em nossa conversa ele citou a função de comentarista do Combate, Embaixador de Relacionamento com Atletas do UFC Brasil, que requer sua atenção dividida entre os cerca de 82 lutadores brasileiros no plantel da organização, falou sobre o gerenciamento de suas cerca de 40 franquias da Team Nogueira espalhadas pelo Brasil e até a ideia de colaborar com uma Liga de MMA Amador que possa definir uma Seleção Brasileira da modalidade para competir mundialmente. Isso tudo, claro, faz com que o mesmo ignore qualquer chance de voltar a lutar MMA.

Rodrigo Minotauro é entrevistado por Luis Fernando Coutinho no lançamento do documentário “Viver para lutar”

Para se ter uma ideia, Minotauro passou três meses gravando o documentário “Viver para lutar”. O acúmulo de funções ligadas ao mundo das lutas é grande, mas nada que tire o sorriso de Rodrigo Minotauro. Ele trabalha com o que ama. E quanto mais trabalho tiver ligado ao MMA, melhor para ele. E melhor para o esporte também. Seja como apresentador, comentarista, empresário, embaixador ou qualquer outra função que possa exercer… É bom saber que um lutador como Rodrigo Minotauro está fazendo pelo esporte.

Se engana quem achou que ele parou de lutar. Sua luta pelo esporte apenas mudou de lado. Hoje ela acontece do lado de fora do octógono. E com o mesmo brilho e carisma.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar