Internacionais

Após primeiro semestre desastroso, Peñarol se recupera e alcança 51º título do Campeonato Uruguaio

Foto: MIGUEL ROJO/AFP/Getty Images

Eliminados precocemente da primeira fase da Copa Libertadores, Carboneros fizeram segunda parte do ano praticamente impecável

Você já ouviu falar naquela frase “há males que vêm para o bem? ”. Ela se encaixa perfeitamente à campanha do Peñarol em 2017. Depois de um primeiro semestre decepcionante com a queda ainda na fase de grupos da Copa Libertadores, os aurinegros deram a volta por cima no Torneio Clausura e, com uma campanha quase imbatível, faturaram o torneio e ainda o Campeonato Uruguaio. A conquista deste ano foi a de número 51 do tradicional clube do país celeste, que detém a liderança no ranking dos vencedores do campeonato local. Se você perdeu alguma coisa, se liga só no resumo da competição.

 

Entendendo o regulamento

De nada adiantará abordarmos “Apertura, Intermedio e Clausura” se não entendermos como funciona a disputa no território vizinho. Já vou avisando que o regulamento é bem estranho para os padrões brasileiros, mas vamos a ele:

O torneio de início e de final são basicamente os mesmos, com as mesmas equipes, e em modo de um turno. A única alteração do Apertura, que foi vencido pelo Defensor (36 pontos), para o Clausura, vencido pelo Peñarol (42 pontos), se deu em relação a inversão de mando de campo. Seria como um Brasileirão, com turno e returno, mas dividido em nomes (campeonatos) distintos. Sacou?

Já o Intermedio começou com dois grupos de oito clubes cada. Os primeiros colocados avançaram ao mata-mata até chegarem à decisão, que foi realizada entre Defensor e Nacional, e vencida pelos tricolores por 1×0.

O campeão da 114ª edição do Campeonato Uruguaio sairia do melhor time na classificação geral de todos os torneios diante do vencedor do Apertura x Clausura. Como Peñarol e Defensor terminaram a competição igualados na ponta com 86 pontos, houve um jogo extra para o desempate. No caso, os Carboneros venceram por 1×0, com de gol de Cristian Rodriguez.

Uma semana depois as duas equipes voltariam a se enfrentar, desta vez pelo confronto entre o campeão do torneio de início e do final. Após 0x0 no tempo regulamentar, os aurinegros faturaram nos pênaltis, em placar de 4×2. Como venceram os rivais nos dois mata-mata, o Peñarol foi declarado vencedor uruguaio de 2017.

 

Imbatível

Como abordamos anteriormente, o Peñarol fez um primeiro semestre para ser esquecido. Lanterna de um grupo que tinha Palmeiras, Atlético Tucumán e Jorge Wilstermann na Copa Libertadores, os Carboneros ficaram de mãos abanando no Apertura e no Intermedio. Isso sem contar na decepcionante pré-temporada, na qual o time dirigido por Leonardo Ramos perdeu todos os jogos que disputou.

Mas julho chegou e a equipe simplesmente “acordou”. Foram 15 vitórias, um empate e apenas uma derrota, anotando 40 gols – dez deles foram de Cristian Palácios, o artilheiro do Clausura – e tomando apenas sete gols. A campanha foi tão avassaladora que a equipe terminou a competição final com nove pontos de vantagem sobre o vice-líder Defensor.

 

Satisfação

Apesar de ter sofrido com duas eliminações para o Peñarol e perda do título uruguaio, o Defensor termina a temporada com a sensação de dever cumprido. Depois de um péssimo 2016, quando terminou na parte debaixo da tabela, entre os seis piores do Clausura, a equipe chefiada por Eduardo Acevedo teve uma mudança de postura durante o ano e, é claro, contou com vários reforços, como o zagueiro Nicolás Correa, o goleiro Alejandro Reyes, Matias Cabrera e Gonzalo Bueno. Assim, o time violeta ganhou o Apertura com diferença de apenas um ponto – 36 a 35 – para o Nacional.

 

Competições continentais

Tentando fazer diferente, o Peñarol é nome certo na fase de grupos da Copa Libertadores de 2018. Defensor, Nacional e Wanderers também estarão na maior competição da América do Sul, enquanto Cerro, Boston River, Rampla Jrs e Danubio vão jogar a Copa Sul-Americana.

 

Rebaixados

Os times rebaixados para a segunda divisão foram Plaza Colonia e Juventud, que tiveram as piores médias do Uruguaio nos últimos três anos. Quem vai se juntar a eles é El Tanque Sisley ou Sud América, que disputam o playoff do rebaixamento. Após vencer o primeiro jogo por 3×2, o El Tanque sofreu um revés na partida seguinte por 1×0. Agora, os dois times fazem o tira-teima no domingo (17 de dezembro), no estádio Franzini. Quem perder cai para a Série B.

Por outro lado, o novato Club Atlético Torque chega pela primeira vez desde a sua fundação em 2007. A filial do poderoso Manchester City, da Inglaterra, foi dona da melhor campanha na Segunda Divisão, anotando 56 pontos em 28 rodadas, nove pontos à frente do Atenas, o vice-líder e que também estará na elite uruguaia em 2018. A terceira e última vaga sai do duelo entre Villa Teresa e Progreso.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar